Notícia

"Tratam a gente pior que cachorro", diz funcionária de Policlínica sobre atraso salarial; colaboradores do Feira X cruzam os braços

A paciência dos funcionários da Policlínica do Feira X chegou ao limite nesta quarta-feira (27)
"Tratam a gente pior que cachorro", diz funcionária de Policlínica sobre atraso salarial; colaboradores do Feira X cruzam os braços "Tratam a gente pior que cachorro", diz funcionária de Policlínica sobre atraso salarial; colaboradores do Feira X cruzam os braços

A paciência dos funcionários da Policlínica do Feira X chegou ao limite nesta quarta-feira (27). Sem receber o salário de setembro, decidiram paralisar as atividades, deixando muita gente sem atendimento.

A paralisação é dos contratados pela empresa Imaps. De acordo com uma técnica de enfermagem da Policlínica, a situação chegou ao limite. "Antes, estava atrasando, mas quando chegava dia 12, até o dia 15, eles pagavam. Só que dessa vez além de não pagar, ainda ficam sem dar explicações", protesta a colaboradora, que pediu para não ser identificada.

Mas a situação de atraso salarial não acontece apenas na Policlínica do Feira X. O Protagonista foi informado por colaboradores que nas unidades da Rua Nova e do Tomba a situação é a mesma. "Estão tratando a gente igual cachorro", protestou uma colaboradora do Imaps na Policlínica da Rua Nova.

O Protagonista vai buscar contato com a direção da empresa Imaps e com a Secretaria Municipal de Saúde ainda nesta quarta-feira (27), para darem explicações sobre o atraso de pagamento de salários nas unidades.

Comentários (0)

Leia mais

Publicidades