Notícia

Fernando Torres orienta aliados a aprovar, "na íntegra", projeto que facilita pagamento de tributos

Fernando observa que a permissão para o Município isentar contribuintes em débito do pagamento de juros de mora e  multa vai aumentar a arrecadação
Fernando Torres orienta aliados a aprovar, "na íntegra", projeto que facilita pagamento de tributos Fernando Torres orienta aliados a aprovar, "na íntegra", projeto que facilita pagamento de tributos

Em "confiança" ao secretário da Fazenda Expedito Eloy e sua "competente" equipe, ao prefeito Colbert Filho e ao ex-prefeito José Ronaldo, o vereador Fernando Torres (PSD) orientou ao grupo de aliados na Câmara, nesta quarta (7), pela aprovação do projeto do Poder Executivo que cria o Programa de Recuperação e Estímulo a Quitação de Débitos Fiscais no âmbito do Município. A matéria foi aprovada por unanimidade do plenário, em primeira e segunda discussões, em sessões extraordinárias realizadas pelo Legislativo.

O presidente da Câmara diz que pesou, em sua decisão, uma conversa com Ronaldo: "Ele me convenceu de que esta equipe da Fazenda, vitoriosa nos últimos 20 anos da gestão municipal, merece a aprovação da proposta, integralmente". 

O presidente afirma que não há "nenhuma negociação" política, da parte dos vereadores, em relação a este projeto. "Estou nesta Casa para contribuir com o Município, não para fazer oposição ao prefeito, nem puxar saco ou lhe ser subalterno", adverte. Ao final do pronunciamento e após ouvir os argumentos dos vereadores oposicionistas do Governo, decidiu, regimentalmente, não acolher a tramitação de uma emenda de autoria do petista Sílvio Dias (PT) ao projeto. 

Fernando observa que a permissão para o Município isentar contribuintes em débito do pagamento de juros de mora e  multa, e possibilitar o parcelamento dos tributos, vai aumentar a arrecadação, "possibilitando à Prefeitura trabalhar ainda mais". Por sua vez,  a Câmara, que enfrenta redução de recursos, também poderá recuperar, no próximo exercício, o que perdeu em 2021 - este mês de abril, a Câmara recebe R$ 400 mil a menos que o mesmo período do ano passado. Será, diz ele, fundamental para que a Casa possa futuramente voltar a investir em sua estrutura, reajustar o salário dos seus servidores e os próprios vereadores sejam contemplados com o novo subsídio, suspenso este ano.

Comentários (2)

Bastou o prefeito de fato mexer os pauzinhos. O prefeito de direito é tão fraco que sequer consegue conversar com o presidente da Câmara. Realmente segue a cartilha do Bonossauro. Cobé, o mito de Feira!
Gosta de palco mesmo. Kkkkk kkkk Arregou para José Ronaldo.

Leia mais

Publicidades