Notícia

Feira de Santana tem maior crescimento no PIB baiano nos últimos 16 anos

A cidade tem o terceiro maior PIB da Bahia, atrás somente de Salvador e Camaçari
Feira de Santana tem maior crescimento no PIB baiano nos últimos 16 anos Feira de Santana tem maior crescimento no PIB baiano nos últimos 16 anos

Feira de Santana é o município baiano que mais cresceu em contribuição para o PIB (Produto Interno Bruto) do estado nos últimos 16 anos. Desde 2004, a cidade tem o terceiro maior PIB da Bahia, atrás somente de Salvador e Camaçari. Os dados são de 2018 e pertencem à pesquisa PIB dos Municípios, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) e divulgada no conceituado jornal Correio24horas. 

De acordo com o jornal, em 2002, de R$ 100 gerados no território baiano, R$ 3,7 eram de Feira. Já em 2018, a participação do município cresceu para R$ 5,1, ou seja 5,1% do que é produzido na Bahia tem origem feirense. Segundo o IBGE, a cidade tem forte presença de serviços privados, os quais representaram 65,1% do valor gerado em 2018. A contribuição deste segmento pelo município subiu de 4,8% para 6,4% da receita do estado. O aumento da participação de Feira também foi forte no setor industrial, onde a produção cresceu de 2,9% para 4,5% em relação à Bahia, entre 2002 e 2018.

De acordo com o secretário de Planejamento de Feira, Carlos Brito, esse destaque se deu, em primeiro lugar, pelo compromisso com os gastos públicos. “Temos um governo que tem responsabilidade com o recurso público e uma política de incentivos bem sólida, atraindo um polo de serviços, de universidades, mostrando que Feira é o lugar para se investir. Temos responsabilidade fiscal e um nível de adimplência muito alto e isso tem levado a cidade a ter um comércio forte e pujante”, observa o secretário.

Brito também ressalta as obras de construção civil que modificaram a cidade. Segundo ele, foram gerados mais de 800 empregos diretos, a partir de um investimento de R$ 130 milhões na construção de viadutos, túneis e pistas exclusivas para o BRT (sigla em inglês para Ônibus de Trânsito Rápido). Fora os viadutos, que foram construídos em 2005, o secretário não informou o período em que esses investimentos ocorreram nem a quantidade. Brito estima que existe uma população flutuante de 1 milhão de habitantes, que dinamizam o comércio na cidade, principalmente o de rua - há quem diga que a Feiraguai é a 25 de março dos baianos. 

Comércio competitivo
Além da facilidade do escoamento de produtos, outro fator que contribui para o PIB em Feira de Santana é a forte presença do comércio. “O comércio de Feira de Santana é muito competitivo. Além da facilidade do escoamento da produção, Feira tem um comércio atraente, que, para quem quer instalar um negócio, é uma grande vitrine para a empresa. Você tem a proximidade com o porto, com o aeroporto, com a Região Metropolitana de Salvador e com grandes centros de consumo, que são ingredientes muito fortes”, argumenta Cloves Cedraz, presidente da Federação das Associações Comerciais da Bahia. 

Dentre as faculdades que foram atraídas para a cidade, estão a Unifacs, a Pitágoras e a Uniasselvi. Há também a instalação da Le Biscuit, que hoje é uma das 100 maiores empresas varejistas do Brasil, assim como a rede de combustível Menor Preço. As duas têm a base estabelecida em Feira de Santana. Na indústria, os destaques vão para a fábrica da Nestlé, a Pirelli, que fabrica pneus, a Belgo Bekaert, maior produtora mundial de arames, Vipal, fabricante de borrachas, e a PepsiCo, produtora de salgadinhos. 

O PIB é calculado a partir da soma de todos os bens e serviços finais produzidos. O levantamento do IBGE analisa os valores brutos de três setores da atividade econômica - agropecuária, indústria e serviços - assim como impostos, líquidos de subsídios, o PIB e o PIB per capita, de todos os 5.570 municípios do Brasil.

(Fonte: Correio24horas)

Comentários (1)

Nao vejo isso

Leia mais

Publicidades