Notícia

Coronel PM contradiz irmão tenente-coronel e afirma: “Em Feira existe facção criminosa”

Segundo o coronel Nilson Paixão, em Feira de Santana existe, sim, a presença de facções criminosas
Coronel PM contradiz irmão tenente-coronel e afirma: “Em Feira existe facção criminosa” Coronel PM contradiz irmão tenente-coronel e afirma: “Em Feira existe facção criminosa”

“O posicionamento da Polícia Militar é que em Feira de Santana existem, sim, facções, o que chamamos de organizações criminosas”. A declaração é do comandante do CPRL da Polícia Militar em Feira de Santana, coronel Nilton Paixão, sobre a declaração do seu irmão, e tenente-coronel Gilson Paixão, publicada no Protagonista (leia mais), quando afirmou que no município não existe facções criminosas atuando.

Em entrevista ao repórter Carlos Valadares, do programa Jornal TransBrasil, comandado por Carlos Geilson, o coronel Nilton Paixão diz o seguinte: “São facções que procuram obter lucros através de ações ilícitas, seja do tráfico de drogas, homicídios e roubo de bancos. Eu não sei o que aconteceu no momento, mas acredito sim que houve um equívoco até porque na entrevista que ele (tenente-coronel Gilson Paixão) concedeu a emissora de TV, ele confirmou essa existência”.

A matéria com o tenente-coronel Gilson Paixão, ao ser rodada no programa de Carlos Geilson e publicada nos sites Protagonista e Olá Bahia, causou reação imediata dos ouvintes e leitores, que contestaram o militar.

Segundo o coronel Nilton Paixão, “ele é um profissional atuante, chefe do planejamento do CPRL, conhece muito bem a área, sempre trabalha nos finais de semana no serviço operacional, mas estamos aqui para combater estas organizações".

"Realizamos cerca de 10 a 12 ações de domingo a domingo em Feira de Santana, em horários intercalados e estamos, também, apreendendo armas de fogo e grande quantidade de drogas", afirma.

Sobre a anunciada doação de 30 viaturas por parte da Câmara Municipal, o coronel Nilton Paixão diz que ainda não houve nenhum tipo de comunicado por parte da Prefeitura. "Oficialmente ainda não tivemos nenhum tipo de contato com o prefeito. Iremos conversar com o prefeito para saber detalhes, assim como também conversaremos que a segurança pública é dever do Estado, mas é de responsabilidade de todos. Não fazemos segurança pública apenas com a Polícia Militar. Vamos saber o que ele pode fazer para ajudar a Polícia Militar, porque, por exemplo, precisamos de uma limpeza ali naquela região da Taboa, são estes pontos que precisamos conversar. Recebi um áudio dessa possível doação dos veículos, mas até o momento, nada oficial", concluiu.

(Foto: site Acorda Cidade)

 

Comentários (4)

Em Feira de Santana tudo dar, Desvio de dinheiro em cooperativas, a receptador de guaraná. Tem traficante desfilando de caminhonete, a policial passeando de carro clonado e de leilão, Mas na Rua de Aurora, é ponto turístico da receptação. Tráfico de droga em Feira é besteira, É tanta gente graúda (inclusive politico) ganhando dinheiro , que favela do Rio vira brincadeira.
Aqui não só tem facção criminosa, tem bando, tem quadrilha, tem especialistas em roubo de carga e recepção e distribuição do fruto do roubo, a Rua de Aurora é uma festa de desmanche de carro roubado e peças de veículos desviados, o Feiraguai é extravio de mercadoria? Importação ilegal de mercadoria falsificada e descaminho. Resumindo Feira de Santana não tem facção. É a cidade da Criminalidade Nacional.
Não moro na cidade, e fiquei em dúvida: tem ou não tem facção em Feira de Santana?
Nunca vi um oficial falar tamanha besteira como esse tenente coronel Gilson. Sabe nada de segurança, tá mais por fora que bunda de indio.

Leia mais

Publicidades