Notícia

Camelôs "enterrados vivos no mausoléu" do Shopping Popular de Elias Tergilene

Em foto registrada na tarde desta quarta-feira (21) a situação do Shopping é essa: corredores praticamente vazios, como mausoléus
Camelôs "enterrados vivos no mausoléu" do Shopping Popular de Elias Tergilene Camelôs "enterrados vivos no mausoléu" do Shopping Popular de Elias Tergilene

A Cidade das Compras, conhecida como Shopping Popular de Feira de Santana, parece um imenso mausoléu, de tão vazio. Vários camelôs já fecharam seus boxes por não terem condição de pagar as taxas, segundo a entidade que representa a categoria.

O Protagonista recebeu vídeo e várias fotos que mostram a triste e dura realidade dos camelôs instalados no Shopping Popular: boxes fechados e “ruas” inteiras sem nenhum box aberto ou um pé de cliente sequer, dentro do empreendimento.

Segundo Elizabete Araújo, dirigente da Associação em defesa do Camelô-Empreendedor do Centro Comercial Popular de Feira de Santana, criada pelos próprios camelôs oriundos do centro da cidade, a situação é dramática. “Deram mais dois meses de carência, que termina agora no final de julho. As cobranças das taxas começam em agosto e não temos condição de pagar porque simplesmente não há movimento”, acentua.

De acordo com Elizabeth, os valores cobrados no Shopping Popular aos camelôs são os seguintes: taxa de condomínio e internet, juntos, R$ 214; sem internet, R$ 189,60 para boxes com 4.74 metros quadrados. A taxa de condomínio para boxes de 3.77 metros quadrados custa R$ 147, sem internet; R$ 169 com internet. O metro quadrado de box custa R$ 80. O total de despesas de um box com 4.74 metros quadrados chega a R$ 589, por exemplo, incluindo aluguel e taxa de condomínio com internet.

Procuramos dialogar, mas o empresário Elias Tergilene não abre um canal de conversa com a gente. “A situação é desesperadora”, enfatiza Elizabete.

 

Comentários (5)

SOMOS REFÉNS DO SISTEMA FALIDO
Estamos buscando Socorro de Deus e das autoridades, vereadores, órgãos competentes, pois o prefeito não recebe nossa classe pra entendimento, Sr Elias não abre não e nós não vendemos pra manter, Nossa fonte de sobrevivência. Pedimos Socorro!!!
Realmente, a situação é muito delicada para todos os comerciantes que estão no shopping
Realmente, a situação é muito delicada para todos os comerciantes que estão no shopping
Verdade, cobram taxas altas e sem estrutura nenhuma de shopping.

Leia mais

Publicidades