Notícia

Auditoria em salários de funcionários da Prefeitura de Feira prorrogada pela terceira vez

A auditoria nos salários dos servidores da Prefeitura de Feira começou em março deste ano e está a cargo da Controladoria Geral do Município
Auditoria em salários de funcionários da Prefeitura de Feira prorrogada pela terceira vez Auditoria em salários de funcionários da Prefeitura de Feira prorrogada pela terceira vez

Está prorrogada, pela terceira vez desde que foi determinada pelo prefeito Colbert Filho, a conclusão da auditoria para avaliação das folhas de pagamento dos servidores ativos, inativos e pensionistas do Município. A decisão está publicada na edição deste sábado (6) no Diário Oficial Eletrônico do Município.

A auditoria está a cargo da Controladoria Geral do Município. "Considerando a necessidade de estender o prazo para encerramento dos trabalhos de auditoria para avaliação das folhas de pagamento dos servidores ativos, inativos e pensionistas do Município, fica prorrogado, por mais 30 dias, o prazo para conclusão dos trabalhos", diz trecho do Decreto.

As auditorias começaram a ser realizadas em março de 2021, “verificando a regularidade dos valores pagos aos servidores públicos”. A Controladoria Geral realiza auditoria nas folhas de pagamento dos servidores ativos da administração direta e indireta, e também dos inativos e dos pensionistas.

Para justificar a auditoria o governo diz o seguinte: “considerando que a despesa com pessoal ativo, inativo e pensionistas possui uma enorme relevância para as finanças municipais; considerando a observância dos limites legais de gastos com pessoal e o atual cenário de comprometimento das receitas municipais com a folha de pagamento; considerando que a situação financeira do Município requer ações que possam resultar em economia de gastos”.

 

Comentários (4)

Haveria muita economia se não tivesse tanto cargo político ganhando altos salários e comissões e se não tivesse tanto funcionário fantasma. Como sempre a culpa é do servidor! Bando de idiotas.
Mesmo atuando nas mesmas ocorrências, com os mesmos pacientes, indo pra casos suspeitos e confirmados de COVID (um vírus letal), entrando nas mesmas unidades de saúde, etc... com os outros profissionais!
Pelo menos com relação aos motoristas, os contratados ganham muito mais que os efetivos e ainda recebem vale alimentação e cesta básica. Com certeza fica mais caro pra o município. Cito outro exemplo no Samu, que todos: médicos, enfermeiros, técnicos recebem 40% de insalubridade, e, os motoristas recebem 20% de insalubridade. Mesmo estando atuando nas ocorrência,
Economia de gastos? Isso é piada né? Querem economizar com os servidores efetivos e concursados? Prefeito economize com os contratos em cooperativas e empresas, ah esqueci, que uma fatia do bolo fica pra mim. Me faça uma garapa.

Leia mais

Publicidades