Notícia

APLB leva "pito" de quilombolas ao tentar protestar em inauguração de escola

Renilda Cruz dos Santos, a dona Nina, pediu que a APLB não transformasse a solenidade em um ato político
APLB leva "pito" de quilombolas ao tentar protestar em inauguração de escola APLB leva "pito" de quilombolas ao tentar protestar em inauguração de escola

A comunidade Quilombola em Feira de Santana reagiu à tentativa da APLB-Sindicato de tumultuar a inauguração da Escola Municipal Quilombola Luiz Pereira dos Santos, a primeira unidade de ensino quilombola feirense. "Este é o dia da realização de um grande sonho, um dia de alegria e de felicidade para a nossa comunidade e ninguém vai tirar o brilho dele", declarou a presidente da Associação Quilombola Comunitária de Maria Quitéria, Renilda Cruz dos Santos, conhecida como Nina.

De acordo com matéria da Secretaria de Comunicação do Município (Secom), a solenidade acontecia tranquilamente na manhã de sexta-feira (6), quando um pequeno grupo de representantes do sindicato dos professores começou a gritar palavras de ordem em protesto ao Governo Municipal, "tentando transformar a cerimônia num ato político".

A reação foi imediata. Visivelmente emocionada, a presidente da Associação pediu a palavra ao prefeito, que até então estava conduzindo o ato. Em sua fala, Nina chorou e pediu a todos os presentes que respeitassem o “momento da comunidade, a realização de um sonho para todos, principalmente para nossos antepassados e para nossa família aqui presente”.

“Respeitamos a luta dos professores, mas todos nós aqui sonhamos com este momento há muitos anos. Respeitem o povo que formou esta comunidade e lutou pela educação que aqui é oferecida. Foi meu avô Luiz, que hoje se torna patrono da escola, quem formou esta comunidade e ele precisa ser lembrado com respeito”, bradou a presidente.

“Vovô Luiz vive e está presente nesta comunidade”, destacou a representante. Nina também ressaltou que a escola entregue na sexta pelo prefeito Colbert representa o povo de toda a comunidade de Lagoa Grande – são os nossos ancestrais, novo povo e sangue. “Respeite a nossa história e a nossa comunidade, Aplb!”, declarou.

A dirigente pediu desculpas ao prefeito por “ter tomado a palavra”, destacando que seu desabafo era inevitável. Outro dirigente da associação, José Raimundo dos Santos, também falou e solicitou que a solenidade não ganhasse um tom político.

 

Comentários (3)

APLB instrumento de cunho político partidário da esquerda , marionete do Deputado Zé Neto e sua gangue . APLB é um câncer da Educação Feirense
Eita coisa boa! Agora fiquem xigando a mulher, como fez comigo e usando as palavras difíceis que decoraram para ofender as pessoas. Tomam destraidas!
Uma luta em te uma escola quilombola.aprece pessoas como José Raimundo a tenta faz algo negativo mais a própria comunidade deu a respostas.

Leia mais

Publicidades